segunda-feira, 20 de abril de 2009

12 - A NOITE E O MENINO DE RUA


Maria e José voltam para a praça e sentam no mesmo banco.
Ao lado do banco, estava um menino de rua, enrolado no cobertor e ao longe um casal de moradores de rua, brinca com um cachorro.


Menino de ruaTio, me dá um real?

JoséLamento, me roubaram a mala e o pouco dinheiro que tinha.

MariaMas temos esse sanduíche
– Maria tira da sacola um pão com mortadela e dá para o menino comer.

José - O que você está fazendo na rua?... Vai pra casa menino, já é tarde!

Menino de Rua - Não posso, morava na favela do Galo com a minha vó, mas agora ela tá presa e eu fui expulso da favela.

José - Lamento!

Maria - E porque a sua vozinha está presa?

Menino de Rua - Por causa de quê, ela "robô" um pacote de macarrão no mercado.

Maria - Sinto muito!... Mas não se preocupe, em breve ela estará solta.

Menino de Rua - Não tia, ela vai "puxar" uns 5 anos de cadeia.

José - Que absurdo!... Enquanto isso os criminosos de alta periculosidade estão por ai, soltos.

Maria - A lei do homem é falha, mas a de Deus não... Vou vibrar por sua avó e... Nesse momento Maria senti dor... Ai!!... O bebê quer nascer... E agora Zé?... O que faremos?

JoséCalma! Vamos encontrar uma solução.

MariaCom certeza!... O nosso filho não pode nascer ao relento.

O menino que comia o pão, escutava a conversa e resolveu opinar:

MeninoTio, o meu mano faz avião pro Herodes... Se quiser eu falo com ele...

José
Não!!! Isso nunca.

Maria Herodes está muito doente e enquanto ele não se redimir, todos devem se afastar dele, inclusive você e o teu irmão.

Menino de ruaO quê?... Se redimir?

MariaSim, pedir perdão, se perdoar, entendeu?

Menino de ruaA tá, tendi!...
Pausa... IIhhh tia? Vai ser muito difícil o Herodes ficar bonzinho... É ruim, hein?

Maria É difícil sim, mas não é impossível... Todos nós carregamos a centelha divina e Herodes, cedo ou tarde, vai encontrar o caminho da luz?

Menino de rua
É mesmo, tia?

Maria - Sim!...
Você sabia que o nosso destino é evoluir sempre, até chegar no patamar da angelitude?

Menino de ruaSabia não!... Poxa, que legal!!!


Enquanto Maria palestrava com o menino, José permanecia pensativo, procurando encontrar numa solução para esse problema. De repente ele fala:

JoséMeu amor, tive uma idéia
1
Maria - Qual?
1
José - Poderíamos procurar ajuda através da mídia... Sabe? Existem programas vespertinos que vivem em função disso.

Maria Não, Zé... Jamais!
1
José - Ora, porquê não?
1
Maria - Isso vai contra a ideologia divina.

José Poxa Maria, Deus entenderia que o nosso momento é de aflição.

MariaZé, você é um bom homem. Não se iluda e lembre-se que uma das missões do nosso filho é acabar com o artificialismo desnecessário. O nascimento dele não deverá estar ligado ao consumo.

José fica pensativo e senti vergonha de ter sugerido essa saída.

JoséÉ mesmo! Você como sempre está certa! O sensacionalismo e a comercialização, não estão nos planos da criança iluminada e eu também não quero que o nosso filho nasça patrocinado pelo tempero Arisco.

Cena com gestos e mímicas.

O menino de rua percebendo o dilema, levanta e vai falar com os moradores de rua.
1
O casal de pedintes prende o cachorro no carrinho de catar papelão e saem apressados na direção de José e Maria... O menino de rua tira o cobertor que o agasalhava e cobre Maria e assim forma o manto de Nossa Senhora.


(Os cinco saem de cena)


(Coral)